Notícias

Melhorar a memória

Como potencializar a memória

 

                     

Nootrópicos são substâncias que estimulam a nossa capacidade cognitiva, seja por um incremento na memória, atenção, concentração ou motivação. Os nootrópicos são usados pelos homens há milhares de anos, sendo que atualmente inúmeros novos compostos com maior eficiência foram descobertos. Alguns exemplos de nootrópicos utilizados desde a antiguidade são o café, o chocolate e o tabaco. Pesquisadores estudam há vários anos substâncias que possam melhorar as habilidades mentais. Estas substâncias são chamadas de “estimulantes cognitivos”, “drogas inteligentes” ou “nootrópicos”. (“Nootrópico” vem do grego – “noos =” mente e “tropos” = alterado, em direção a). Os efeitos de melhoria cognitiva podem ser variados, tais como, melhoria da memória, aprendizado, atenção, concentração, resolução de problemas, raciocínio, habilidades sociais, tomada de decisão e planejamento.

A pesquisa destas substâncias foi orientada inicialmente aos indivíduos com deficiências mentais. Posteriormente foram realizadas pesquisas em indivíduos saudáveis. É um campo com potencial ainda pouco explorado, apesar dos benefícios em potencial deste grupo de substâncias serem enormes. Entre os nootrópicos sintéticos mais recentes temos: Ritalina, Anfetaminas, Modafinil, Piracetam, etc. Os nootrópicos podem ser portanto, substâncias naturais ou sintéticas que exerçam atividade positiva sobre as funções cerebrais.

Como estas substâncias funcionam?

  • Aumento do metabolismo cerebral
  • Aumento da circulação cerebral
  • Proteção do cérebro contra danos físicos e químicos

Quais são os efeitos dessas substâncias?

  • O aumento da “energia” mental
  • Aumento da vigilância
  • Diminuição da depressão
  • Melhora da memória
  • Melhora da capacidade de aprendizagem

Nootrópicos sintéticos –   NÃO DEVEM SER USADOS SEM ACOMPANHAMENTO MÉDICO

 Existem diversos estudos realizados em indivíduos saudáveis com modernos nootrópicos. Um deles é um grande estudo com mais de 300 pessoas. Todos os estudos obtiveram resultados positivos com pouquíssimos efeitos colaterais como insônia numa incidência de 2% maior que no placebo e um pequeno aumento da pressão arterial. Em todos os estudos se comprovou o aumento da memória de trabalho verbal e numérico. Houve um aumento do tempo de resposta nos testes, mas também um aumento significativo na taxa de acertos. Outros dois estudos realizados pelas forças armadas americanas em pilotos, demonstraram um aumento considerável do desempenho em simulações de 40 e 36h com indivíduos sem dormir. Nesses estudos, após 24h sem dormir, foi ministrado 100mg de Modafinil a cada 4h para os pilotos. Atinge-se o pico de concentração plasmática em 2-3h e tem meia vida de 12h (mas o efeito diminui antes). Os efeitos colaterais do Modafinil incluem dor de cabeça, infecção do trato respiratório superior, náuseas, vômitos, nervosismo, ansiedade ou insônia. O Modafinil está contraindicado em pacientes com pressão alta, em tratamento de arritmias cardíacas ou com hipersensibilidade aos componentes da fórmula.

                                         

A Ritalina inibe fortemente a recaptação de dopamina e levemente a de noradrenalina. Age principalmente na região ligada primordialmente à memória de trabalho e à recuperação de memória de longo prazo. A dopamina é o neurotransmissor ligado a concentração e as funções executivas do cérebro atuando primordialmente no córtex pré-frontal.  A Ritalina inibe a receptação da dopamina mantendo-a na fenda sináptica por mais tempo, proporcionando uma ativação do sistema executivo do cérebro.

Existem diversos estudos, alguns apontando um ganho de até 6 pontos de QI em indivíduos com DDA (Distúrbio do Déficit de Atenção). Em indivíduos saudáveis há um aumento das memórias de trabalho, numérica, verbal e espacial. Pico de concentração plasmática em 1h e meia vida de 3h. É um dos nootrópicos mais conhecidos e utilizados. Estima-se que 10% da população americana com menos de 20 anos faz uso da droga. O uso continuado por mais de 10 anos pode acarretar problemas cardíacos em pessoas com predisposição. Os efeitos colaterais da Ritalina incluem desconforto abdominal, náusea, azia, nervosismo e insônia no início do tratamento, diminuição de apetite que pode resultar em perda de peso ou atraso de crescimento em crianças, dor de cabeça, sonolência, tontura, alterações nos batimentos cardíacos, febre e reações alérgicas.

O Piracetam foi um dos primeiros medicamentos a ser utilizado contra a demência senil, também conhecida como doença de Alzheimer. É uma condição de natureza crônica e progressiva, caracterizada pelo desenvolvimento de múltiplos déficits nas funções intelectuais (memória, fala) e alterações da personalidadeé um ativador do metabolismo cerebral que age no sistema nervoso central, protegendo o córtex cerebral contra a hipóxia. É também utilizado no acidente vascular cerebral (AVC), alcoolismo, distúrbios de atenção, distúrbios da concentração, distúrbios do comportamento, involução senil, toxicomania. Problemas digestivos são os principais efeitos colaterais do uso do Piracetam.

Hydergine é um medicamento vasodilatador cerebral que tem como substância ativa a Codergocrina. Esse medicamento  é indicado para Sinais e sintomas de deterioração mental especialmente aqueles relacionados ao envelhecimento: tontura, cefaleia, pouca concentração, desorientação, comprometimento da memória, falta de iniciativa, depressão do humor, insociabilidade, dificuldades com as atividades diárias e cuidados pessoais. Doença vascular cerebral aguda. Distúrbios vasculares periféricos. Sintomas subjetivos associados a hipertensão arterial.. Os efeitos colaterais do uso deste medicamento são distúrbio gastrintestinal, náusea, obstrução nasal.  Não usar durante a gravidez.

A Selegilina é utilizada no tratamento do Mal de Parkinson, ao inibir irreversivelmente a enzima MAO B que degrada a dopamina, aumentando assim seu efeitos. A selegilina pode aumentar a transmissão dopaminérgica através de outros mecanismos como o de impedir a recaptura da dopamina ao nível da sinapse.  Apresenta  grande efeito no sistema nervoso central, diminuindo os “tremores” característicos da doença. Como efeitos colaterais costumam aparecer com frequência, porém não muito severa, náuseas, enjoos, fraqueza, dor abdominal, confusão, alucinações, sensação de boca seca, sonhos vividos e discinesias.

A perda gradual da capacidade cognitiva e velocidade de processamento cerebral acometem mais de 80% das pessoas que ultrapassaram os 30 anos de idade. Um grande número de evidências científicas demonstra, de forma clara, que a queda de desempenho cerebral não é um fato irrevogável, podendo ter o seu curso modificado. Dentro deste contexto, insere-se a Pregnenolona, um dos mais importantes hormônios do corpo humano e essencial em qualquer faixa etária. A Pregnenolona é um abundante hormônio cerebral que pode ajudar no processo da memória, sendo precursor (formador) da maioria dos hormônios esteróides ( sexuais e adrenais). Além de sua função de precursor dos nossos principais hormônios sexuais e adrenais, a pregnenolona têm função de neurotransmissor  e estímulo da neurogênese (formação de neurônios novos) comprovado em estudos em animais. Já em 1950, o Dr. Edward Anderson um célebre neurofisiologista, publicou no Jornal de Endocrinologia a seguinte  frase  “A Pregnenolona   parece ter   nítidos benefícios e merece a atenção  do meio  médico, além de não terem sido evidenciados nenhum efeito adverso na fisiologia endócrina e sua ação  mostrou-se promissora  no tratamento  das doenças correlacionadas ao processo de envelhecimento “.

Existem diversos outros medicamentos inteligentes sintéticos com atuações diferenciadas sobre os processos mentais. Além dos nootrópicos sintéticos podemos contar com substância naturais para a mesma proposta clínica, como veremos abaixo.

Nootrópicos naturais

Cafeína

Um dos mais antigos, mais usados e menos eficiente dos nootrópicos. Atua mimetizando o neurotransmissor adenosina e se liga aos seus receptores no cérebro inativando-os. A adenosina tem um papel inibitório no cérebro, e inativação dos seus receptores aumenta a função cerebral. Além disso a cafeína e seus metabólitos aumentam as concentrações plasmáticas de adrenalina, com isso aumentando os batimentos cardíacos, pressão sanguínea e estresse. Como resultado, a longo prazo ela aumenta a incidência de infartos. Após longo período de uso se desenvolve tolerância e a interrupção causa depressão, irritabilidade e sonolência.

Fosfatidilserina – é uma substancia lipídica que é incorporada nas membranas de todas as células cerebrais e ela garante que haja boa comunicação entre as células, o que garante um bom funcionamento cerebral.  O uso de fosfatidilserina auxilia a reduzir os níveis de cortisol fruto do aumento do estresse, reduzindo seu impacto negativo sobre o cérebro. Ela age na memória e na reversão da redução da memória causada pela idade. Trabalhos com indivíduos mais velhos mostra que a ingestão diária desta substancia mostrou melhora do aprendizado, lembrança de nomes, imagens e números comparado com pessoas que não ingeriram.

Colina ou fosfatidilcolina – colina é uma vitamina do complexo B que auxilia no funcionamento cerebral. É um componente da molécula da acetilcolina, um neurotransmissor necessário para a memória. A colina também faz parte da molécula de fosfatidilcolina um lipídio necessário pelas células cerebrais.  A maior fonte de colina da dieta é a gema do ovo, que deveria ser consumida diariamente por aqueles que desejam melhorar a memória.

Guaraná (Paullinia cupana) – 1 colher de chá de pó ou utilizá-lo na forma de cápsulas pode ser interessante para aumentar a acetilcolina. Não exagerar na administração pois pode favorecer aumento da ansiedade, taquicardia e aumento de pressão arterial.

Cacau (Theobroma cacao) – usar o cacau desengordurado especialmente orgânico – 1 colher de sopa ao dia melhora a função cognitiva.

Ômega-3 proveniente do óleo de peixe – o Ômega-3 é um tipo de gordura essencial uma das mais saudáveis que podemos ter. Ele auxilia no desenvolvimento cerebral em crianças e na manutenção da função cerebral normal em adultos. Podemos encontrar o Ômega-3 em sementes de chia, de linhaça, nozes e nos peixes de água fria e profunda como a sardinha, o atum, o salmão, a cavala e a cavalinha, onde a biodisponibilidade é maior que nas sementes de linhaça, mas menor que nas sementes de chia.  Dois componentes ativos do Ômega-3 o EPA e o DHA são incorporados nas membranas das células do cérebro. Alguns autores têm mencionado que problemas comportamentais em crianças, principalmente com o distúrbio do déficit de atenção e hiperatividade, podem estar relacionados com uma deficiência de ácidos graxos poliinsaturados na alimentação e nas células cerebrais, principalmente a escassez de Ômega-3.

Ginkgo biloba – aumenta o fluxo sanguíneo cerebral aumentando a sua atividade e inibe a ação de uma enzima que degrada a acetilcolina, sendo assim os níveis de acetilcolina são mantidos mais tempo em níveis ótimos. Em estudos animais, o papel do Ginkgo biloba foi relacionado ao aumento do funcionamento de genes no cérebro relacionados ao aprendizado e a memória. O Ginkgo biloba por interferir com outros medicamentos não deve ser consumido sem prescrição medica.

Huperzine A (extraído da erva chinesa Huperzia serrata) – consegue inibir por 3 horas a enzima que degrada a acetilcolina (acetilcolinesterase), deixando este neurotransmissor mais tempo ativo, o que aumenta a memória.  Não disponível em alimento mas em cápsulas manipuladas em farmácias de manipulação.

Antioxidantes: vitamina A, C , E, carotenóides, selênio – todos auxiliam a evitar o processo de oxidação no cérebro que reduz as suas funções. O cérebro é altamente suscetível a oxidação devido ao seu alto conteúdo de lipídios e a baixa concentração de antioxidantes cerebrais.  O ideal é ter fontes alimentares variadas como castanhas do Brasil e outros frutos oleaginosos como sementes de abóbora, girassol, nozes e amêndoas. A vitamina C amplamente distribuída em frutas como laranja, acerola, goiaba, morango e em vegetais verdes escuros como brócolis, couve e salsinha. Os carotenóides estão disponíveis em vegetais verdes escuros, amarelos, laranja e avermelhados.

Ginseng (Panax ginseng) – para a memória e ajuda a se adaptar ao estresse, um dos maiores causadores da redução de memória em indivíduos jovens. A partir da redução dos efeitos do estresse o ginseng auxilia na melhora da memória.

Grãos integrais – ricos em vitaminas do complexo B – melhora da função cognitiva. Naturalmente presente em cereais integrais como arroz, centeio, gérmen de trigo, vegetais verdes, lentilhas, feijão, peixes, gema de ovo. Introduzir pelo menos 2 colheres de servir nas principais refeições.

Óleo de abóbora, semente de abóbora – contém beta-sitosterol, uma molécula que consegue fazer com que a adrenal produza menor quantidade de hormônio do estresse, levando a uma maior atividade cerebral.

L-Tirosina: Aminoácido precursor de dopamina. Aumenta as concentrações de dopamina levemente. Estudos revelam desempenho semelhante a anfetaminas em pessoas sem dormir.

Vitaminas do Complexo B: As vitaminas B1, B6, B2 e o ácido pantotênico (B5) são cofatores na produção de dopamina.

Veja no quadro abaixo alguns nutrientes importantes envolvidos no bom funcionamento cerebral:

Nutrientes

Fontes

Tiamina (B1)Gérmen de trigo, ervilha, cereais matinais, batata, pão vitaminado.
Niacina (B3)Peixe, leite, queijo, ervilha, vegetais verdes, ovos, batata.
Piridoxina (B6)Banana, brócolis, peru, peixe, couve-flor, abacate, cereais matinais, agrião.
Cianocobalamina (B12)Cereais matinais, carnes, extrato de levedo, atum, queijo, nozes, farelo de trigo.
Ácido FólicoVegetais verdes, salsa, espinafre, beterraba, cereais matinais, agrião, brócolis, couve.
ColinaGérmen de trigo, aveia, leite, gema de ovo, presunto, carne de soja, feijão, nozes, suco de laranja.
InositolCarnes, peixes, broto de feijão, hortaliças, feijão, melado, soja, milho, cereais integrais.
FosfatidilserinaOvo caipira
Ácido docosahexaenóico (DHA)Alimentos ricos em Ômega-3: semente de milho, salmão, noz, canola, verdura de folhas verdes.
MagnésioVegetais verdes, cereais integrais, camarão, damasco, soja, gérmen de trigo, mel, caqui, lentilha, feijão.
CromoFrutos do mar, carnes, cereais integrais e grãos, queijo, batata, banana.
ManganêsVegetais verdes, cereais integrais, grão de bico, soja, alho, aveia, banana, agrião, frutas, gema de ovo.
FerroCarne e caça, sardinha, vegetais verdes, damasco, grãos, ameixa-preta, melado, lentilha, feijão, gema de ovo.
TirosinaOvos, carne vermelha, queijos, nozes.
TriptofanoBanana, leite, cacau, carne vermelha, peixe, peru, queijo.

 

A falta de alguns desses nutrientes pode causar: mudança de personalidade, irritabilidade, depressão, perda do senso de responsabilidade, aprendizado lento, perturbações visuais, problemas auditivos, confusão mental, cefaleia, demência, fadiga, problemas de memória, paranoia, hiperatividade, alterações emocionais, ansiedade.

Outras ações dos nootrópicos

 

Arcalion: Está envolvido no sistema ativador reticular. Aumenta a densidade de receptores de dopamina e a densidade de glutamato. Tem um efeito, ainda pouco comprovado, na memória e na atenção.

Vasopressina: Hormônio que melhora a circulação de sangue no cérebro. Também conhecido como hormônio antidiurético.

Vinpocetina: Vasodilatador cerebral, aumenta a circulação dos vasos sanguíneos cerebrais e a memória de médio prazo.

Nicotina: Aumenta o funcionamento dos receptores de Acetilcolina e a concentração.

Lecitina/Colina: Precursor de acetilcolina. Aumenta a concentração de acetilcolina levemente. A colina pura é muito mais eficaz, pois está em maior concentração.

Vitamina B5: Cofator de síntese de acetilcolina.

Creatina: Aumenta disponibilidade de energia no cérebro. É a principal fonte energética do mesmo.

Coenzima Q10: Aumenta disponibilidade de energia no cérebro, tem papel no ciclo de Krebs na mitocôndria (e faz bem  para diversos órgão, em especial coração).

 

Referências

Smart Drugs?

https://faculty.washington.edu/chudler/smartd.html

Study of the protective effects of nootropic agents against neuronal damage induced by amyloid-beta (fragment 25-35) in cultured hippocampal neurons.

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/25712658

Nootrópicos: Rompendo o Status Quo Bias

https://brainstormers.wordpress.com/2009/08/18/nootropicos/

Reeducação Alimentar na Família. Da gestação à adolescência. Joselaine Silva Stürmer. Ed. Vozes. 2011.

Nootropic Properties of Huperzia Serrata

https://www.onnit.com/huperzia-serrata/

Huperzine A Uses, Benefits & Dosage

https://www.drugs.com/npp/huperzine-a.html

 

 

Esse site segue as normas do Código de Ética Médica do Conselho Federal de Medicina.As informações contidas neste site têm caráter informativo e educacional usando imagens e vídeos de fornecedores / fabricantes de aparelhos. De nenhuma forma devem ser utilizadas para auto-diagnóstico, auto-tratamento e auto-medicação. Quando houver dúvidas, um médico deverá ser consultado. Somente ele está habilitado para praticar o ato médico, conforme recomendação do CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA.