Notícias

Categoria: Medicina Preventiva

Artigos e novidades da Clínica Revitalize

Hormônio do Crescimento - GH ou hGH Entenda mais sobre!

O Hormônio do Crescimento tem sido visto como uma das descobertas mais promissoras no campo da medicina do rejuvenescimento e dos tratamentos antienvelhecimento. Todos os hormônios descritos até agora apresentam resultados importantes e indiscutíveis, mas o Hormônio do Crescimento atua de uma forma decisiva no processo de regeneração de tecidos.

Leia Mais

Licopeno atua diminuindo risco de câncer de prostata.

Esse estudo apresenta uma revisão sobre os benefícios do licopeno, presente no tomate, na diminuição do risco de desenvolvimento de câncer de próstata e na sua progressão.  Confira mais detalhes!

Leia Mais

Atividade física após ter infartado, será que pode? Deve?

Resumo da publicação recente e muito bem conduzida sobre COMO, QUANTO E QUANDO iniciar atividades físicas em pessoas após infarto, e seu impacto na saúde e qualidade de vida.  Confira!

Leia Mais

Testosterona baixa aumenta risco de mortalidade em homens

Hoje falasse muito de hormônios em especial da testosterona. Logicamente excessos são deletérios porém a falta pode ser tão ou talvez pior . Confira o estudo alemão sobre esse hormônio em homens!. 

Leia Mais

Melatonina pode atrasar o envelhecimento?

O consumo de melatonina, uma substância produzida no cérebro pela glândula pineal e presente em muitos alimentos, entre os quais o vinho tinto, retarda os efeitos do envelhecimento, indica um novo estudo. A melatonina existe em pequenas quantidades em frutos e vegetais como a cebola, a cereja e a banana, em cereais como o milho, a aveia e o arroz, em plantas aromáticas como a hortelã, a verbena, a salva e o tomilho, e no vinho tinto. Confira mais!

Leia Mais

Esse site segue as normas do Código de Ética Médica do Conselho Federal de Medicina.As informações contidas neste site têm caráter informativo e educacional usando imagens e vídeos de fornecedores / fabricantes de aparelhos. De nenhuma forma devem ser utilizadas para auto-diagnóstico, auto-tratamento e auto-medicação. Quando houver dúvidas, um médico deverá ser consultado. Somente ele está habilitado para praticar o ato médico, conforme recomendação do CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA.